Refrigerante causa celulite: mito ou verdade?

Refrigerante celulite

Na terça-feira, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, apresentou três novos compromissos do Governo no que diz respeito à sua pasta. São eles: deter o crescimento da obesidade na população adulta até 2019; aumentar em 17,8% o consumo de frutas e hortaliças e reduzir em 30% o consumo de refrigerantes e sucos artificiais.

Quanto a essa última meta – diminuir o consumo de refrigerantes e sucos artificiais –, sem dúvidas ela trará muitos benefícios à saúde da população. Mas tem uma dúvida que sempre permeou a cabeça de muita gente: refrigerante dá celulite? Pois bem: sim e não.

A celulite – ou fibroedema gelóide (FEG), termo mais correto para ser utilizado – é formada graças à uma série de alterações estruturais na derme, na microcirculação e nos adipócitos. Esses fatores, quando combinados, resultam no famoso aspecto “casca de laranja” que conhecemos.

Vale saber: a grosso modo, a FEG aparece por causa do aumento no tamanho dos adipócitos, que comprimem os vasos linfáticos, ocasionando vazamento dos líquidos que passam por eles. Do lado de fora, a substância se polimeriza e se infiltra nas tramas de colágeno, fazendo com que elas precisem se fortalecer (endurecer) para suportar esse processo; deste modo, formam-se as fibroses (que provocam endurecimento das fibras e retrações da pele) e, com isso, surge o aspecto ondulado. Vale ressaltar também que a FEG tem causas multifatoriais (hormonais, sedentarismo, genética etc.) e que não se pode apontar apenas uma delas como sendo fator predisponente único de seu aparecimento.

Portanto, tem-se que a FEG não é provocada por nenhum alimento ou bebida, no entanto, caso a pessoa esteja provocando acúmulo de gordura em seu corpo, ela terá maiores chances de desenvolvê-la, concorda?

Deste modo, vamos analisar o refrigerante como “alimento”, se é que posso chamá-lo assim. Não sou da área de Nutrição, mas encontrei aqui que “refrigerante é a bebida gaseificada obtida pela dissolução, em água potável, de suco ou extrato vegetal de sua origem, adicionada de açúcares”, ou de “edulcorantes hipocalóricos ou não calóricos, naturais ou artificiais”, no caso dos refrigerantes diet e light.

Se a bebida não for diet ou light, ela será acrescida de grandes quantidades de açúcares e, portanto, terá muitas chances de ocorrer acúmulo de gordura, pois o excesso de açúcar se transforma em reserva de energia e aumenta nossa quantidade de gordura corporal. Deste modo, pode-se dizer que o refrigerante normal (não diet/light) pode contribuir para o aparecimento da FEG, uma vez que pode colaborar para o aumento da gordura corporal.

Porém, não há nenhuma comprovação científica de relação direta entre o consumo de refrigerante e o aparecimento de FEG na literatura. Encontrei apenas uma menção dizendo que “refrigerantes ou bebidas carbonadas contêm uma quantidade de ácido carbônico, que se dissocia formando íons carbonato, que são um ácido forte que favorece o endurecimento das fibras”, o que favoreceria o aparecimento da FEG.

Por isso, pelo sim, pelo não, o melhor mesmo é optar sempre pelas alternativas mais naturais possíveis. Substituir o refrigerante por sucos naturais e chás sem adição de açúcar, ou mesmo pela boa e velha água, é a alternativa mais saudável e “segura” para se prevenir do aparecimento da FEG. Além disso, manter um bom estilo de vida também é imprescindível para ter um corpo bonito e, principalmente, saudável.

Até a próxima!

Anúncios

2 comentários sobre “Refrigerante causa celulite: mito ou verdade?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s